logo
Entretenimento
Foto: Reprodução Pinterest / Foto: Reprodução Pinterest /
Entretenimento 31/07/2021

Irmão de Lady Di celebra vitória legal sobre calúnia publicada no The Times of London

Um artigo do jornal sugeriu que o irmão de Lady Di, conde Charles Spencer, não teria apoiado a princesa após a sua separação do príncipe Charles, em 1996.

Artigo do The Times of London culpava o irmão de Lady Di em não tê-la apoiado após sua separação do príncipe Charles.

Charles Spencer, irmão da princesa Diana, anunciou na última quinta-feira, 29, uma vitória legal sobre uma falsa alegação do jornal The Times of London. Em um artigo, intitulado “It’s too simple to blame everything on Bashir”, o jornal alegou que Charles Spencer teria negado lar à princesa Diana após o término do seu casamento com o príncipe Charles em 1996.

O artigo do The Times of London, que foi retirado do site do jornal, também sugeriu erroneamente que o conde Spencer havia falhado em proteger Diana do repórter da BBC, Martin Bashir, que recentemente foi desmascarado por ter usado documentos falsos para garantir sua polêmica entrevista de 1995 com a princesa, que foi ao ar na BBC, durante o programa Panorama.

“Hoje, pela terceira vez, um jornal foi forçado pela lei a se desculpar por mentir sobre eu ter privado Diana de um lar”, escreveu Charles Spencer no Twitter. Ele incluiu no post um link para na seção “Correções e Esclarecimentos” The Times of London, admitindo que o artigo “afirmava erroneamente que o conde Spencer havia se recusado a ajudar Diana, princesa de Gales, com a oferta de uma casa após o fim de seu casamento com o príncipe Charles”.

Leia mais sobre a Família Real britânica:

“Estamos felizes em informar que, tendo considerado a segurança de sua irmã, e de acordo com o conselho da polícia, o conde ofereceu à princesa de Gales uma série de propriedades, incluindo Wormleighton Manor, a casa ancestral original da família Spencer”, publicou o The Times of London

“Foi errado sugerir que ele se recusou a ajudar sua irmã ou falhou em protegê-la de Martin Bashir e ocultou evidências do engano deste último. Não pretendíamos sugerir que o conde fosse o culpado pela morte de sua irmã. Pedimos desculpas a o conde e concordamos em pagar suas despesas advocatícias, bem como fazer um pagamento a ele, que ele doará para a caridade”, finalizou o jornal.