logo
Entretenimento
Orlando Drummond, o Seu Peru, morre aos 101 anos / Reprodução/InstagramOrlando Drummond, o Seu Peru, morre aos 101 anos / Reprodução/Instagram
Entretenimento 27/07/2021

Ator e dublador Orlando Drummond, o Seu Peru, morre aos 101 anos

O artista morreu em casa, em Vila Isabel, no Rio de Janeiro

Por : Metro World News

O ator, humorista e dublador Orlando Drummond, o eterno Seu Peru, morreu nesta terça-feira (27) aos 101 anos. A informação confirmada por familiares nas redes sociais. O artista deixou a esposa, dois filhos, cinco neto e três bisnetos.

A jornalista Marina Andrade, sobrinha-neta do ator, lamentou a morte no Twitter. “Valeu cada segundo, da minha infância ao último papo nos 100 anos. Tio Orlando forjou o meu humor. Descansa depois de muita luta. Mandem muito amor para Glória, minha tia-avó e esposa de Drummond, filhos Orlandinho e Lenita e os tantos netos e bisnetos”, escreveu ela.

Leia também:

O ator foi internado em abril deste ano no Hospital Quinta D’Or, na zona norte do Rio de Janeiro, quando tratou de uma grave infecção urinária. Ele recebeu alta em junho, quando os familiares chegaram a agradecer nas redes sociais o carinho do público e destacaram que ele “apresentava melhora”.

Desde então, ele se recuperava em casa, em Vila Isabel, mas não resistiu e faleceu no início desta noite.

Voz marcante

Drummond ficou famoso pelo seu personagem Seu Peru na “Escolinha do Professor Raimundo”. Em 2019, quando completou 100 anos, o programa fez um episódio especial para homenagear o ator, que foi ovacionado pelos humoristas da nova fase do programa.

Mas ele também teve uma longa carreira como dublador e chegou a entrar no Guinness Book, o Livro dos Records, por ser a voz do Scooby Doo por mais de 35 anos.

A essa voz marcante também foi emprestada para personagens de desenho animados como o marinheiro Popeye, o Gargamel (“Os Smurfs”), e o Alf (“O Eteimoso”) e o Vingador (“Caverna do Dragão”).

Nascido no Rio de Janeiro em 18 de outubro de 1919, ele iniciou a carreira em 1942 no rádio. Logo depois, na década de 50, passou a atuar e participou de filmes como “Rei do Movimento” (1954) e “Angu de Caroço” (1955). Em seguida, começou os trabalhos como dublador.