logo
Foto: Reprodução Pinterest /
Entretenimento 04/05/2021

A surpreendente mudança de look de Meghan Markle

Uma Meghan “mais de alto glamour, o tipo de celebridade”, diz um especialista. A Duquesa de Sussex demonstra sinais de mudança de estilo, saindo do protocolo real.

Desde que deixou a Família Real britânica, Meghan Markle tem aparecido poucas vezes em público, mas deixou escapar sua notável mudança de look. Veja o que dizem os especialistas de moda.

As últimas aparições públicas de Meghan Markle e do Príncipe Harry têm sido em momentos específicos com objetivos bem delineados, disso não temos dúvida. No início de março, durante a entrevista bombástica à Oprah Winfrey, Meghan usava um vestido Armani, avaliado em  US$ 4.700 (cerca de R$ 25.600 reais), com um cinto e um colar de cristal. Além disso, a pulseira de diamantes de Diana brilhava em seu pulso. Um visual não tão diferente do que esperaríamos de Meghan, caso ela ainda estivesse em funções reais. 

Mas o impacto do vestido luxuoso e a maquiagem que delineava bastante o olhar, bem diferente da maquiagem em tons pastéis utilizada pelas mulheres da Família Real britânica, alertou os críticos para uma possível mudança de estilo. E eles estavam certos!

A crítica de moda do New York Times, Vanessa Friedman, apontou a diferença no look de Meghan, que ela descreveu como “mais de alto glamour, o tipo de celebridade” em contraste com seu visual enquanto membro da realeza britânica.

Leia mais sobre a Família Real britânica:

A última vez que os Sussex deram as caras juntos foi em um vídeo promocional do Spotify, no qual ambos falam sobre o seu podcast e sobre como a plataforma tem impulsionado histórias e debates de impacto para o mundo atual. Mas, não somente as palavras de Meghan falaram, sua comunicação não verbal também, mais precisamente seu estilo.

Meghan usou um vestido de Oscar de la Renta da coleção Primavera, avaliado em US$ 3.490 dólares (aproximadamente R$ 19 mil reais). O design é assinado pelos diretores criativos da marca Laura Kim e Fernando García. Um vestido estampado que provavelmente não seria aprovado pela realeza, já que o protocolo raras vezes permite estampas.

O protocolo da realeza reescrito

Desde que anunciou oficialmente o seu compromisso com o Príncipe Harry, Meghan teve sua imagem explorada pela mídia internacional de uma forma não antes vista por ela. A partir desse momento, pudemos ver uma Meghan com uma imagem perfeitamente penteada de um membro da Família Real. Ela seguiu à risca as “regras” do protocolo real, como por exemplo sempre usar meia-calça nude; não usar esmalte escuro; quando a ocasião exigir, usar chapéus, etc.

“Em seu papel como a duquesa de Sussex, Markle era a própria imagem da diplomacia da moda, um modelo para futuros políticos, filantropos profissionais e pontos de contato com os súditos”, escreveu a editora sênior Sam Reed para a InStyle. 

Em um momento, Meghan era uma atriz com a carreira em ascenção em Hollywood e, de um dia para o outro, ela virou um membro da Família Real, como sinalizam Lauren McCarthy e Meagan Fredette em um artigo publicado na W Magazine. “De repente, Markle foi empurrada para a Família Real, com seu próprio protocolo de estilo e tradições profundamente arraigadas. Como uma realeza, ela usava silhuetas mais modestas de amados estilistas britânicos, com alfaiataria nítida e tecidos requintados dignos de uma duquesa. E sim, ela usava muitos chapéus. Markle também entendeu o poder das cores brilhantes e saturadas. Como a Rainha, ela adorava looks monocromáticos em tons de verde, azul e vermelho que fotografavam lindamente e permitiam que ela fosse visível no meio da multidão”, disseram as editoras.

“Seus looks eram cuidadosamente selecionados e ela entendeu que estaria sob constante vigilância devido à sua posição de destaque. Suas roupas simbolizavam muito de suas crenças progressivas, falando por ela quando ela não conseguia falar através de seu blog, o Tig. Por exemplo, quando vestiu um par de jeans da Outland Denim, uma empresa que emprega sobreviventes de tráfico sexual no Camboja, demonstrou seu apoio ao empoderamento das mulheres e à agência que se expande muito além das fronteiras de seu país de adoção”, escreveu Sam Reed.

A editora de moda também relembra quando Meghan Markle usou uma coleção de macacões, bolsas e sapatos da Everlane: “Ela demonstrou seu apoio a uma empresa cuja declaração de missão inclui compromissos com a sustentabilidade e a produção ética. E mais: o fato de ela ter vestido novamente as mesmas roupas reafirmou seu repúdio ao conceito “roupa única”, aquela que só se usa uma vez, que contribuiu para o enorme problema de desperdício da indústria da moda. E então, é claro, houve a demonstração de respeito de Markle pelas pessoas cujos países ela visitou a serviço da realeza, demonstrada por sua seleção de peças feitas por designers e artesãos locais”.