logo
Foto: Reprodução Netflix /
Entretenimento 24/04/2021

A história real de ‘O Paraíso e a Serpente’ da Netflix

A história de um dos serial killers mais procurados da história está disponível na Netflix em série baseada em fatos reais.

Charles Sobhraj é um assassino em série e golpista, considerado um dos criminosos mais perigosos na década de 1970. A série ‘O Paraíso e a Serpente’ se une ao catálogo de produções de true crime da Netflix.

‘O Paraíso e Serpente’ se passa na década de 1970 e conta a história do assassino em série Charles Sobhraj, um homem culpado por drogar, roubar e assassinar turistas na Tailândia. A história começa quando o diplomata holandês Herman Knippenberg investiga o desaparecimento de um casal de jovens holandeses que viajam à Tailândia e não dão notícias às suas famílias por mais de um mês.

O pano de fundo é o ambiente dos anos 70, década marcada pela disseminação do movimento hippie no mundo ocidental. Neste contexto, muitos jovens europeus ou americanos viajavam ao oriente em busca de uma maior conexão com a natureza e outras formas de espiritualidade.

Leia mais sobre filmes e séries

Charles Sobhraj percebia esses jovens turistas como presas e usava seu charme e técnicas de manipulação para atraí-los a uma armadilha. Um dos seus métodos era causar alguma dificuldade, seja roubando ou envenenando esses turistas, para depois assumir o papel de salvador da situação. Em troca, ele conquistava a lealdade dessas pessoas, que se tornavam cúmplices de outros crimes, ou ficava com dinheiro e outros bens.

‘O Paraíso e a Serpente’ estreou em 2 de abril mas anteriormente já havia sido exibido na BBC, no Reino Unido, no início do ano. A série de oito episódios inclui no elenco Tahar Rahim, Billy Howle, Jenna Coleman, Ellie Bamber e Mathilde Warnier, entre outros.

Afinal, quem é esse “serpente”?

Charles Sobhraj ficou conhecido por esse apelido por ser considerado pela polícia um mestre dos disfarces. Ele escapou de ser pego várias vezes. Sua mãe era vietnamita e seu pai um indiano. Abandonado pelo pai, Charles foi adotado pelo padrasto francês e passou a infância entre a Índia, China e França, onde conquistou a nacionalidade desses três países.

Seus primeiros crimes foram registrados ainda na adolescência e, aos 19 anos, ele foi condenado por roubo, ficando preso em uma penitenciária próxima de Paris.

Apesar de seu modus operandi não encaixar no estereótipo tradicional de serial killer, já que muitas vezes associamos essas pessoas ao impulso cego de matar, Charles era conhecido por detestar o perfil de suas vítimas. Esse fator o torna um serial killer.

O número exato de vítimas de Charles é incerto. Sabe-se que, pelo menos, cerca de 12 pessoas foram assassinadas por ele. Isso porque ele não foi condenado por todos esses crimes. Há relatos também de outros casos nos quais ele teve envolvimento.