logo

A monarca decidiu que, no funeral do Príncipe Philip, os homens estarão dispensados de usar trajes militares. Essa medida beneficia diretamente o Príncipe Harry, que teve seus títulos e reconhecimentos por ter servido o exército britânico após ter abandonado seus deveres como membro sênior da Família Real.

A Rainha Elizabeth II decidiu que nenhum membro da Família Real britânica vai usar uniforme militar durante o funeral de seu marido, o Príncipe Philip, que ocorrerá no próximo sábado, 17. O Duque de Edimburgo, como era conhecido Philip, faleceu na semana passada em casa, no Castelo de Windsor, após um longo período de internação hospitalar devido a complicações ocasionadas por uma cirurgia no coração.

De acordo com a imprensa britânica, Daily Mail, The Times, Telegraph e The Guardian, a Rainha Elizabeth decidiu que todos deveriam comparecer em roupas civis, embora tenha permissão para usar suas medalhas, beneficiando diretamente o Príncipe Harry e o Príncipe Andrew, filho da Rainha. Fontes disseram ao tablóide The Sun que a Rainha decidiu que a maneira mais simples para resolver o impasse era que todos os membros da realeza usarem roupas civis: vestido de luto para as mulheres e, para os homens, gravata preta.

Foto: Reprodução Instagram @clarencehouse

Harry, Duque de Sussex, perdeu seus títulos militares depois de deixar o cargo de funcionário real sênior. Ele passou dez anos servindo ao exército britânico: pilotou helicópteros, obteve a patente de capitão e serviu em duas ocasiões na guerra no Afeganistão. Em ocasiões formais anteriores, Harry usou o uniforme de sobrecasaca dos Blues and Royals, seu antigo regimento do exército, o mesmo traje que ele usou em seu casamento. No entanto, desde que renunciou aos deveres reais, ele foi forçado a renunciar aos seus títulos militares honorários, incluindo o de Capitão-General dos Fuzileiros Navais Reais, uma posição anteriormente ocupada pelo Príncipe Philip.

Leia mais notícias sobre a Família Real britânica:

Foto: Reprodução Instagram @clarencehouse

Já o Príncipe Andrew, Duque de York, abandonou a vida pública e suas obrigações reais após o escândalo que o envolveu na trama do tráfico sexual de menores do financista americano Jeffrey Epstein e Ghislaine Maxwell. Uma fonte próxima de Andrew disse ao The Sun: “O duque de York está muito ciente de que o funeral de sábado será um momento para o Duque de Edimburgo e para a nação. Ele não tem desejo nem intenção de se distrair disso. O Duque de York fará o que for apropriado às circunstâncias – ele continua afastado dos deveres reais”.

O Duque de Edimburgo será sepultado no sábado no Castelo de Windsor, a cerca de 50 quilômetros a oeste de Londres, e devido à pandemia, apenas 30 pessoas, a maioria parentes próximos, poderão comparecer ao funeral.

Foto: Reprodução Instagram @clarencehouse

O Funeral

O funeral do Príncipe Philip acontecerá no Castelo de Windsor, na Capela de São Jorge. A lista de convidados é limitada a 30 pessoas devido às restrições sanitárias da pandemia e deve incluir membros imediatos da família de Philip: a Rainha Elizabeth, o Príncipe Charles, a Duquesa Camilla, o Príncipe Edward e a esposa Sophie, o Príncipe Andrew, a Princesa Anne, o Príncipe William e Kate Middleton.

A cerimônia fúnebre será transmitida ao vivo no Reino Unido no sábado, 17. No dia do funeral, por volta das 11h (horário de Brasília), o caixão será movido em uma pequena procissão cerimonial da entrada do Castelo até a capela. Espera-se que membros da Família Real, incluindo o Príncipe Charles, caminhem atrás do caixão. A rainha seguirá separadamente e diretamente para a capela.