Série explora os talentos invisíveis do pop brasileiro

Por Metro World News

Quem foram os clones brasileiros de astros internacionais como Trini Lopes? Como surgiu a onda dos falsos gringos, que revelou Fabio Jr.? Quem foi o responsável pela explosão da música infantil dos anos 1980, como Xuxa e A Turma do Balão Mágico? A série “História Secreta do Pop Brasileiro”, dirigida pelo jornalista André Barcinski, desvenda esses e outros fatos curiosos dos bastidores da indústria das décadas de 1970 e 1980.

Uma das histórias mais fascinantes do apanhado, em oito capítulos, disponíveis nas plataformas Now, Vivo e Looke, está no terceiro episódio, que pincela a banda Os Carbonos. Entre meados dos anos 1960 e final dos 1980, eles foram o grupo de estúdio mais prolífico de São Paulo. Lançaram cerca de 40 LPs próprios, entre discos de covers, músicas italianas, rock, samba, sertanejo e forró. É deles as gravações dos clássicos jingles “Toddy, o sabor que alimenta” e da dedetizadora D.D. Drin. E também dos hits “Fuscão Preto”, “É o Amor” e “Domingo Feliz”. Calcula-se que os caras tenham gravado 50 mil faixas musicais.

Outro episódio interessante é o sexto, que traça perfil de, entre outros, Edgard Poças, que compôs as músicas do Balão Mágico, Polegar e Dominó. O autor de “Superfantástico” é pai da cantora Céu.

Loading...
Revisa el siguiente artículo