Entretenimento

Reabertura de processo contra Gustavo Corrêa deixa Ana Hickmann indignada

Ana Hickmann mostrou sua indignação após o Ministério Público de Minas Gerais pedir a reabertura do processo contra o cunhado dela, Gustavo Corrêa. Ele é o autor dos disparos que mataram o fã da ex-modelo, dentro de um hotel em Belo Horizonte, durante a tentativa de homicídio contra a apresentadora no dia 21 de maio.

A polícia tinha arquivado o caso, alegando que Gustavo agiu em legítima defesa. Não há prazo para a Justiça decidir se aceita ou não o indiciamento do empresário, agora acusado de homicídio.

A reviravolta no caso foi comemorada por Elaine de Pádua, irmã do atirador. «O meu irmão responderia pelos seus atos se estivesse vivo… Mas, tiraram a vida dele. Que a justiça seja feita sim… Somos todos iguais, seja rico ou pobre, anônimo ou famoso… Estamos vivendo em um mundo desigual… Chega disso! Podem falar, ofender, criticar minhas atitudes, não me importo. Estou blindada a tudo isso. Eu amava muito o meu irmão e sempre vou lutar pela memória dele… Era sim um cara nota 1000. Não se incomodem tanto assim, vocês que perdem o seu tempo tentando nos atingir. Será que vocês ainda não perceberam que somos uma família? E que o Rodrigo não era qualquer um?», afirmou em seu perfil no Facebook.

Veja o post feito por Ana Hickmann na manhã desta sexta-feira:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Entenda o caso
No dia 21 de maio, Ana Hickmann, o cunhado Gustavo Corrêa, e a mulher dele, Giovana Oliveira, que é também assessora de imprensa da apresentadora, foram surpreendidos por um homem armado no quarto do hotel onde estavam hospedados em Belo Horizonte, Minas Gerais.

Na ocasião, Ana aguardava a chegada do cabeleireiro Júlio Figueiredo para se preparar para um evento mas, ao abrir a porta do quarto, se deparou com o cunhado sendo rendido por Rodrigo Augusto de Pádua, de 30 anos, que se dizia seu fã incondicional.

Inicialmente, a ex-modelo pensou que se tratava de um assalto. «Estava esperando que outras pessoas entrassem e levassem tudo o que a gente tivesse de pertence. Eu mantive a calma, só que ele veio para cima de mim e começou a me ofender, a me humilhar, falar que me conhecia, que eu sabia quem ele era. Dizia que eu tinha acabado com a vida dele. Ele veio determinado para me matar», relatou ela em entrevista ao Domingo Espetacular.

Ouça a conversa entre Ana Hickmann e o agressor dentro do quarto:

[cultura-embed src=»http://mais.uol.com.br/static/uolplayer/?mediaId=15872957&autoplay=false&share=false» height=»320″ width=»560″]

Sob a mira do revólver, Hickmann tentou argumentar de todas as formas, inclusive falando que tinha um filho pequeno. «Ele disse: seu filho, o Alexandre, é um anjo, mas você é uma vagabunda, uma piranha, uma mentirosa e merece morrer», lembrou aos prantos.

No momento em que o agressor apontou a arma para a cabeça da apresentadora, ela perdeu o controle do próprio corpo. Rodrigo, então, atirou duas vezes, mas as balas atingiram Giovana. «Não sei se eu desmaiei, mas eu escutava tudo o que acontecia. Do jeito que o tiro passou pela minha cabeça e pegou na minha cunhada, ela deve ter feito algum movimento com o corpo para me proteger», afirmou a loira.

Após os disparos, o irmão do marido de Ana partiu para cima do fã, conseguiu desarmá-lo e disparou dois tiros contra sua cabeça. O rapaz morreu no local.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos