Entretenimento

U2 presta homenagem às vítimas de Paris, mas sem o Eagles of Death Metal

A banda irlandesa de rock U2 prestou homenagem às vítimas dos ataques de Paris em seu retorno no domingo à França, onde dois de seus shows foram cancelados devido aos atentados, mas o grupo californiano Eagles of Death Metal não participou do show, apesar dos rumores de que iria.

Os shows do U2 em Paris estavam originalmente programados para 14 e 15 de novembro e foram adiados depois de ataques coordenados do Estado Islâmico na capital francesa, que mataram 130 pessoas em 13 de novembro.

Leia mais:
U2 remarca para dezembro shows em Paris
Músicos da banda Eagles of Death Metal dizem querer voltar ao Bataclan

Oataque mais violento ocorreu na casa de espetáculos Bataclan, onde a banda de rock Eagles of Death Metal se apresentava, e havia rumores de que os californianos iriam aparecer no Accorhotels Arena com o U2.

«Vive La France», «Esta noite somos todos parisienses, ‘ce soir nous sommes tous Parisiens'», disse o vocalista do U2, Bono, à multidão.

«Se você ama a liberdade, então Paris é a sua cidade natal. Temos algumas palavras para falar sobre a perda que você está sentindo hoje à noite, acho que a dor é como uma ferida que nunca fecha.»

Os nomes das vítimas apareceram em azul, branco e vermelho em um telão no final do show.

Mais cedo, o U2 tinha dito em seu site: «Estamos de volta a Paris e é ótimo estar aqui. Algumas pessoas têm dito que o Eagles of Death Metal aparecerá no palco com o U2 esta noite. Isso não acontecerá. Temos outro convidado surpresa planejado para o show de hoje à noite.»

Patti Smith dividiu brevemente o palco com o U2 cantando «People Have the Power» diante de uma multidão em êxtase no fim do show de duas horas.

O U2 tem uma segunda apresentação em Paris nesta segunda-feira, e o Eagles of Death Metal poderia aparecer em seguida, segundo se especula.

Muitos fãs comentaram que ir ao show foi algo simbólico e uma forma importante de Paris seguir em frente depois do que aconteceu há pouco mais de três semanas, enquanto outros diziam que não estavam com medo.

Com a França em estado de emergência, houve forte presença militar nas ruas do entorno do local da apresentação, com metralhadoras, e a polícia também estava armada. Mas nenhum incidente foi relatado.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos