logo
Entretenimento
Entretenimento 16/04/2015

‘Sonhos de Abu’ faz sátira de jornada do roqueiro para viver de arte

Da esq. para a dir., em sentido horário, Mauricio Pereira, Abu, Arrigo Barnabé, Clemente, Skowa e Scandurra  | Divulgação

Da esq. para a dir., em sentido horário, Mauricio Pereira, Abu, Arrigo Barnabé, Clemente, Skowa e Scandurra | Divulgação

André Abujamra define “Sonhos de Abu”, que estreia nesta sexta-feira, às 23h30, no Canal Brasil, como um “falso reality show verdadeiro”. “Muito do que aconteceu aí aconteceu de verdade comigo”, alerta o músico responsável por bandas emblemáticas da cena paulistana, como o Karnak.

Com forte tom cômico, a série lembra “O Fantástico Mundo de Gregório”, em que Gregório Duvivier interpreta a si mesmo diante do pseudoglamour de um jovem ator. Acontece que, em “Sonhos de Abu”, o foco gira em torno do roqueiro que perde o encanto com sua arte e precisa fazer publicidade para sobreviver.

O humor surge do método de trabalho imposto pelo roteiro, que apenas dá ganchos e deixa os atores improvisarem em cima deles, sem ensaios ou repetições de tomadas. “Quanto entrávamos no set para filmar, não sabíamos nada do que ia acontecer, o que deu um tom muito natural e coloquial”, diz Abu.

Nesse percurso, velhos amigos dão as caras, sendo responsáveis por conferir um sabor especial ao programa. Mauricio Pereira, com quem ele fez dupla na banda Mulheres Negras, surge como feirante. Ele é quem puxa uma reunião à la “Músicos Anônimos”, em que nomes referenciais dos anos 1980 revelam como superaram a utopia de viver de arte. Edgar Scandurra, por exemplo, deixou o Ira! para virar personal trainer, enquanto Arrigo Barnabé se transformou em manobrista.

Outro destaque da série é a presença do pai de Abu, Antônio Abujamra, interpretando a si mesmo com um tempero a mais: ele é cleptomaníaco de talheres. “Filmamos pouco depois de minha mãe falecer e foi muito lindo. É um presente ser filho dele e tê-lo nesse projeto”, diz o protagonista, que também faz a trilha e divide a direção com Rafael Terpins, responsável pelas animações que ilustram os sonhos do personagem.