logo
Entretenimento
Entretenimento 01/04/2015

‘O Ano Mais Violento’ traz luta por aparência diante de decadência

Oscar Isaac e Jessica Chastain protagonizam longa de J.C. Chandor | Divulgação

Oscar Isaac e Jessica Chastain protagonizam longa de J.C. Chandor | Divulgação

Aos 41 anos, J.C. Chandor vem despontando como um dos jovens diretores americanos mais interessantes dos últimos anos desde que apresentou o contundente – embora contido – “Margin Call – O Dia Antes do Fim” (2011), no qual revela seu olhar para a crise da bolha imobiliária vivida nos EUA em 2008.

A ousadia seguiu em “Até o Fim” (2013), em que Robert Redford quase não fala durante duas horas ao incorporar um sujeito que luta para sobreviver sozinho em alto-mar.

Seu trabalho mais recente, que estreia nesta quinta-feira, é “O Ano Mais Violento”. O título remete a 1981, tido como um dos piores anos em termos de criminalidade em Nova York. É justamente no fim dele que se passa a trama, encabeçada pelo casal vivido por Oscar Isaac e Jessica Chastain (indicada ao Globo de Ouro pelo papel). Por ser imigrante, ele tenta provar seu valor e deixar isso claro para a sociedade por meio das aparências.

Apesar de manter um negócio legal, ele passa a ser investigado pelo FBI (encabeçado pelo personagem de David Oyelowo) quando caminhões de sua firma são roubados. O problema é que a ligação dele com a máfia pode causar problemas – em especial para sua família.