Entretenimento

Escritor João Ubaldo morre aos 73 anos no Rio de Janeiro

| Letícia Moreira/Folhapress
João Ubaldo Ribeiro era o sétimo ocupante da cadeira número 34 da ABL | Letícia Moreira/Folhapress

Morreu na madrugada desta sexta-feira, dia 18, aos 73 anos, o escritor João Ubaldo Ribeiro, vítima de uma embolia pulmonar.

Nascido na ilha de Itaparica, na Bahia, em 23 de janeiro de 1941, o autor formou-se em direito pela Universidade Federal da Bahia, mas jamais exerceu a profissão. Escreveu seu primeiro livro, «Setembro não tem sentido», aos 21 anos. Era filho do advogado Manuel Ribeiro e de Maria Filipa Osório Pimentel.

Em 2008, ganhou o Prêmio Camões, principal premiação da língua portuguesa. Ele é autor de diversos livros, entre eles «O sorriso do lagarto»(1949), «Sargento Getúlio» (1971) e «A casa dos budas ditosos» (1999). No dia 7 de outubro de 1993, foi eleito para a cadeira 34 da Academia Brasileira de Letras (ABL), na vaga aberta com a morte do jornalista Carlos Castello Branco.

Leia também:
‘Literatura perde um grande nome’, diz Dilma sobre morte de Ubaldo

João teve várias de suas obras adaptadas para o cinema e para a televisão. «Sargento Getúlio» tornou-se um filme, em 1983, dirigido por Hermano Penna e protagonizado por Lima Duarte e «O sorriso do lagarto» foi adaptado para uma minissérie da Rede Globo, em 1991, entre muitas outras obras.

Ele era casado com Berenice de Carvalho Batella Ribeiro, com quem teve dois filhos, Bento e Francisca. Tinha outras duas filhas, Emília e Manuela, de um casamento anterior.

O escritor tornou-se um dos mais fortes romancistas do país. Para o jornalista e membro da Academia Brasileira de Letras, Antonio Torres, o humor do colega de ABL é uma das marcas mais memoráveis.

«Ele tinha um pouco de Jorge Amado, com o colorido do recôncavo baiano», destacou o jornalista.

Academia Brasileira de Letras decreta 3 dias de luto

A Academia Brasileira de Letras (ABL) determinou luto de três dias por causa da morte do escritor João Ubaldo Ribeiro. O escritor foi eleito, em 7 de outubro de 1993, como sétimo ocupante da Cadeira número 34 da ABL na sucessão do jornalista Carlos Castello Branco.

O presidente da ABL, Geraldo Holanda Cavalcanti, determinou que a bandeira da Academia seja hasteada a meio mastro. “É uma grande perda para a Academia, para o romance e o jornalismo nacionais . João Ubaldo Ribeiro deixa uma obra de excelência. Estamos todos muito chocados com a notícia”, disse.

A ex-presidente da ABL Nélida Piñon disse que a morte de João Ubaldo Ribeiro não é uma perda somente para a literatura brasileira, mas também para a língua portuguesa. A escritora ressaltou que João Ubaldo faz parte do grupo de notáveis do Brasil.

«De modo que perder um homem com essa estatura é uma tristeza e, sobretudo, porque era um moço, de 73 anos, em plena campanha criadora e reflexiva, que ainda tinha muito a dar ao Brasil. E sem falar que deixa os amigos, a família, a Berenice, sua mulher formidável, grande amiga de todos nós e a Academia Brasileria de Letras, sem uma pessoa que faz parte do nosso núcleo afetivo», destacou.

Prêmios e distinções

– Prêmio Golfinho de Ouro, do Estado do Rio de Janeiro, conferido, em 1971, pelo romance Sargento Getúlio;
– Dois prêmios Jabuti, da Câmara Brasileira do Livro, em 1972 e 1984, respectivamente para o Melhor Autor e Melhor Romance do Ano, pelo romances Sargento Getúlio e Viva o povo brasileiro;
_ Prêmio Altamente Recomendável – Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil,1983, para Vida e Paixão de Pandonar, o Cruel;
– Prêmio Anna Seghers, em 1996 (Mogúncia, Alemanha);
– Prêmio Die Blaue Brillenschlange (Zurique, Suíça);
– Detém a cátedra de Poetik Dozentur na Universidade de Tubigem, Alemanha (1996).
_ Prêmio Lifetime Achievement Award, em 2006;
_ Prêmio Camões, em 2008.

Bento Ribeiro homenageia o pai em rede social
Bento Ribeiro, filho de João Ubaldo Ribeiro, fez uma rápida homenagem ao pai em seu perfil no Twitter. O autor de «O sorriso do lagarto» morreu na madrugada desta sexta-feira, dia 18, aos 73 anos, vítima de uma embolia pulmonar.

O apresentador da MTV agradeceu as mensagens de carinho que recebeu de seus seguidores e fãs do escritor.

«Obrigado a todos pelas mensagens. Tchau, meu pai. Foi cedo, vai fazer muita falta», escreveu na rede social.

Além de Bento, outros famosos lamentaram a morte de João Ubaldo.

Tony Ramos e Cacá Diegues falam sobre Ubaldo
Tony Ramos e Cacá Diegues participaram do programa Manhã Bandeirantes, da Rádio Bandeirantes, na manhã desta sexta-feira, dia 18, e comentaram a morte do escritor João Ubaldo Ribeiro, aos 73 anos, vítima de uma embolia pulmonar.

«Fui surpreendido com essa notícia no começo da manhã, porque João estava em plena produção, escrevendo jornais, escrevendo sua coluna sempre muito bem humorada e muito atenta à realidade brasileira. Dizer que ele é insubstituível é um fato», declarou Tony.

O ator ainda falou sobre um dos momentos marcantes de sua carreira, onde teve a oportunidade de trabalhar com João. «Tive a aventura em 1991, de fazer uma minissérie que teve uma visão clara da obra de João «O Sorriso do Lagarto» e foi um momento muito importante em minha carreira», disse.

Tony se despediu do escritor ressaltando sua imortalidade na literatura brasileira. «O Brasil perde não só um grande escritor, como um grande brasileiro. Deixo meus sentimentos e na memória daqueles que têm interesse nas coisas brasileiras, na gente brasileira, ele é um imortal», concluiu.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos