logo

O médico infectologista José Eduardo Panini, 31 anos, postou no seu perfil no Instagram uma foto do seu rosto após a agressão sofrida depois de uma reunião ocorrida em Toledo, no Paraná. Ele escreveu “Ao alertar sobre os riscos a pessoas conhecidas, a resposta que me foi dada foram chutes e socos, enquanto um me segurava o outro me agredia”.

A agressão teria acontecido após uma reunião, ocorrida na última sexta-feira, 26, para discutir o agravamento da pandemia no estado. Nesta reunião ficou definido o que seria fechado em decorrência do aumento de casos de Covid-19 na cidade.

Com o olho direito roxo e a boca machucada, o médico disse ter sido imobilizado por uma pessoa, enquanto outra lhe agredia fisicamente. “Enfim pessoas assim ajudaram situação chegar onde está! O desânimo não vem! E junto com eles temos muita coisa boa, progresso, vacinas e tudo que vai fazer sairmos dessa pandemia! E aos trabalhadores da saúde muita força!”, escreveu.

 

Os comentários dos seguidores do médico na rede social foram solidários. “Enfim pessoas assim que ajudaram situação chegar onde está! O desânimo não vem! E junto com eles temos muita coisa boa, progresso, vacinas e tudo que vai fazer sairmos dessa pandemia! E aos trabalhadores da saúde muita força!”, escreveu uma seguidora.

O governo paranaense anunciou o fechamento dos serviços não essenciais até o dia 8 de março. O decreto também proibiu a circulação de pessoas em espaços públicos entre 20h e 5h. As medidas foram tomadas após em razão do aumento expressivo de casos de Covid-19 no estado e da alta ocupação de leitos de UTI da rede pública, acima de 90%. O Centro Acadêmico de Medicina de Toledo e o Conselho Municipal de Saúde de Toledo emitiram notas de repúdio sobre o acontecimento.