MP vai investigar médico que contrariou protocolo de vacinação e tomou doses da CoronaVac e de Oxford

Por Camilla Viegas

O médico Oliveiro Pereira da Silva Alexandre, conhecido como “Dr. Oliveira” afirmou ter tomado duas doses de duas vacinas diferentes contra contra a Covid-19. Segundo ele, em menos de uma semana ele tomou primeiro a CoronaVac e depois a vacina de Oxford/AstraZeneca. O vídeo foi postado no YouTube na segunda, 15, e apagado na terça, 16.

O Ministério Público foi acionado e dois promotores assinaram a portaria de instauração de inquérito civil, já que o médico teria violado “princípios norteadores da Administração Pública, especialmente o da moralidade, com a consequente configuração da prática de ato de improbidade administrativa”.

 

Leia mais:

"Veja bem, lembra que eu falei para vocês que eu tomei a CoronaVac e, por minha conta, eu tomei a da AstraZeneca. Isso não pode, tá bom? Isso não pode", disse o Dr. Oliveira no vídeo. O procedimento contraria os protocolos de vacinação estabelecidos pelo Ministério da Saúde.

O MP deu um prazo de 10 dias para que a prefeitura de Assis, interior de São Paulo, informe o plano de vacinação do município e esclareça sob quais circunstâncias possibilitaram que o médico tivesse acesso às primeiras doses de imunizantes de fabricantes diferentes. Também será cobrado esclarecimentos do Hospital Regional, onde o “Dr. Oliveira” é servidor público, sobre as providências adotadas para apuração da responsabilidade administrativa do médico. O Conselho Regional de Medicina de São Paulo deve receber um comunicado para apuração de falta de ética profissional por parte do médico.

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo