Reabertura do comércio após dia 10 de maio ainda não é garantida, diz Covas

Por Metro World News com Rádio Bandeirantes

O prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), afirmou que ainda não é garantida a reabertura do comércio após o dia 10 de maio, fim da atual etapa da quarentena.

O governador do estado, João Doria (PSDB) sinalizou que deve haver uma volta gradual das atividades a partir do dia 10 do próximo mês. No entanto, em entrevista à Rádio BandNews FM, Covas disse que isso depende da avaliação de técnicos da área da saúde.

Veja também:
PF faz primeira operação contra desvios de verbas de combate ao coronavírus
Ministério da Saúde anuncia apoio psicológico para servidores do SUS

O prefeito afirmou ainda que a Prefeitura de São Paulo estima uma perda de R$ 8 bilhões por causa da pandemia do coronavírus. A quantia representa cerca de 12% do orçamento deste ano.

O prefeito disse que a pandemia "deixou de ser uma doença da classe A, que trouxe o vírus após viajar para a Europa". De acordo com ele, o maior número de casos está concentrado nas periferias. Na Zona Leste, por exemplo, já há uma tentativa de ampliar o número de leitos por causa da superlotação dos hospitais da área.

Covas também falou sobre a proposta de utilização de hospitais privados para atender pacientes de coronavírus, caso haja lotação na rede pública. Ele esclareceu que já foi feito um pedido para que essas unidades informem quantos leitos tem e qual a disponibilidade. A partir daí, a prefeitura disponibilizou os valores que pode pagar por esses leitos e agora deve divulgar um chamamento para que os hospitais possam aderir ao programa.

 

 

Loading...
Revisa el siguiente artículo