logo
Colunistas
Colunistas 11/08/2021

‘O molho do prato’

Uma das novidades de O Esquadrão Suicida é que, diferentemente do filme de 2016, que saiu com uma censura de 13 anos nos EUA, o longa-metragem que acaba de chegar aos cinemas tem classificação etária de 17 anos por lá (e 16 anos no Brasil). Isso permite que o roteirista e diretor James Gunn faça uma comédia de super-heróis mais sanguinolenta e desbocada. Ainda assim, numa época em que séries como The Boys e Invencível testam os limites do gênero, seria o suficiente para configurar uma novidade?

O Omelete teve a oportunidade de conversar com James Gunn e perguntou sobre o estado do gênero de super-heróis hoje em dia, levando em consideração não apenas os filmes de Marvel e DC mas também as novas séries nos streamings que sobem a barra da violência e da sátira. “Eu não sei dizer para onde o gênero vai a partir de agora, mas eu gostaria de ver os criadores assumindo riscos, sabe? A Marvel está assumindo alguns riscos com o que tem feito nas séries de TV, algumas podem ser mais bem sucedidas que outras mas eles estão se arriscando. Eu sei que a série do Pacificador vai ser insana”, diz Gunn, que produziu, escreveu e dirigiu a série, cria direta do novo Esquadrão.

“Já a DC tem alguns cineastas incríveis alinhados aí, eu sou um grande fã do Matt Reeves e estou muito empolgado com o que ele vai fazer em The Batman. Eu acho que no geral dá pra se empolgar bastante com o que está por vir, ou talvez os filmes de super-heróis vão morrer! Eu não sei! E de certa forma eu não me importo, porque tem outros filmes incríveis que eu posso conceber que não sejam de super-heróis. O que me empolga são personagens, suas personalidades. Se Javelin tem um uniforme ridículo isso fica engraçado. Mas o fato de eles estarem todos fantasiados é só o molho do prato”, diz Gunn.

FRASE DA SEMANA

“Eu tomo banho, confie em mim. Eu sou o Aquaman, 

estou na p* da água. Não se preocupe com isso. 

Sou havaiano, temos água salgada em nós”

Jason Momoa fala sobre a “moda” em Hollywood dos atores que não tomam banho diariamente, como Ashton Kutcher e Jake Gyllenhaal

NERDÔMETRO

Sobe

Animação – Um dos melhores desenhos do ano, Kid Cosmic foi

renovada pela Netflix e terá mais duas temporadas

Desce

Dublagem – A covid-19 vitimou o dublador Júlio Chaves, conhecido como a voz de Mel Gibson no Brasil, além de personagens como o Marlin de Procurando Nemo