logo

Fundadora da plataforma CalçadaSP (@calçadasp), junto com Tony Nyenhuis, a publicitária e mestranda em Arquitetura e Urbanismo Wans Spiess é apaixonada pela cidade de São Paulo e por suas calçadas.

Tanto que criou esse projeto para justamente inspirar as pessoas a olhar mais – e com maior carinho – para o equipamento urbano que é tão essencial para a vida de todos. “A CalçadaSP propõe um caminho um pouco diferente: em vez de falarmos dos problemas, da falta de acessibilidade, dos buracos, escolhemos a rota apreciativa, de mostrar as histórias que essas calçadas contam”, diz Wans.

Por isso, uma das histórias mais queridas reveladas pela CalçadaSP é justamente a da criadora do desenho do piso símbolo da cidade, Mirthes Bernardes, que idealizou, em 1965, a calçada em ziguezague em preto e branco, formado por mosaicos de pedra portuguesa, com as linhas geométricas do mapa do estado de São Paulo.
Vencedora de um concurso promovido pela prefeitura, Mirthes faleceu no final de 2020 sem ter sido reconhecida por sua genial criação, explica Wans, que mantinha contato com a artista há alguns anos. “Ela ganhou o concurso, tinha direito à autoria, viu seu desenho espalhado por toda a cidade, mas nunca consegui criar uma patente e nem mesmo teve o reconhecimento merecido por essa obra”.

Na última vez que encontrou Mirthes, Wans recebeu de suas mãos a maior preciosidade da artista: “Ela me deu a cópia (digital) de uma carta escrita à mão, na qual traça o histórico da conquista do concurso do piso paulistano. Segundo ela, quando tentou patentear o desenho, um advogado sumiu com toda a documentação e ela teve que escrever a história de próprio punho para que não fosse esquecida.”

“Ainda tentamos homenagear dona Mirthes com uma exposição, conversamos com empresas, participamos de editais, mas infelizmente não pudemos dar esse presente a ela em vida. O CalçadaSP quer ser mais uma voz para que seu legado seja preservado e os paulistanos saibam quem é ela”, afirma Wans.

De domínio público, o desenho de Mirthes estampou roupas, marcas, produtos diversos. Várias empresas usaram o padrão criado por ela, sem ao menos dar os devidos créditos. Apesar do enorme sucesso, a criadora não ganhou um centavo sequer por sua obra, que pode ser apreciada em vários lugares, como na avenida São Luís, no calçamento da Assembleia Legislativa de SP, e na escadaria localizada na rua Joaquim Antunes, em Pinheiros, batizada em homenagem à artista de “Escadaria Mirthes Bernardes”.


O Pro Coletivo ajuda as pessoas a aproveitar a vida se locomovendo de forma inteligente.
www.procoletivo.com.br | Instagram: @procoletivo