logo
Colunistas
/ Freepik / Freepik
Colunistas 05/04/2021

Os 6 alimentos e bebidas inimigos do bom sono

A qualidade do sono do brasileiro piorou com a pandemia. O estresse e a ansiedade são vilões. Mas comer certos alimentos muito perto da hora de dormir também pode atrapalhar o sono. A nutricionista Daniela Cyrulin destaca os seis alimentos e bebidas que você deve evitar antes de dormir. 

1. Alimentos picantes. Se você é fã desses alimentos, melhor guardá-los para o almoço (especialmente se você tem azia). O curry pode causar refluxo ácido no meio da noite. Alimentos apimentados também têm altos níveis de capsaicina, substância que aumenta a temperatura corporal e pode interferir no sono.

2. Alimentos fritos e gordurosos. Eles podem causar indigestão, inchaço e refluxo ácido.

3. Alimentos ácidos. Os alimentos ácidos são aqueles que diminuem o pH do sangue, deixando-o mais ácido e enfraquecendo o sistema imunológico. Entre eles estão: embutidos (presunto, bacon, linguiça, salame), carne, produtos feitos com farinha branca (pão, bolo, macarrão), açúcar refinado e doces, alguns laticínios, cerveja e refrigerante.

4. Grandes refeições. O ideal é que a digestão tenha terminado antes de dormir. Por isso, procure jantar mais cedo, não comer muito e opte por alimentos de fácil digestão (sopa de legumes, legumes assados e refogados e pouca ou nenhuma carne, por exemplo).

5. Bebidas com cafeína e refrigerantes. O café não é a única bebida com cafeína. Chás mate, preto e verde e refrigerantes à base de cola também contém a substância. Os refrigerantes também atrapalham a digestão e podem causar refluxo ácido.

6. Álcool. Pesquisas confirmam que ele interfere na qualidade do sono e dificulta o descanso.

O que comer antes de dormir. Se precisar de um lanche, aposte nos alimentos ricos em magnésio, que ajudam a melhorar o sono. Alguns deles: banana, grão-de-bico, nozes, sementes e um pedacinho de chocolate amargo.

Siga nas redes sociais:
Facebook | Instagram | YouTube | Biolinky

Colunas anteriores:
Felicidade em tempos difíceis
Cultivar o equilíbrio emocional ajuda a lidar melhor com a pandemia