Rezar é ótimo, respeitar a ciência também

Por José Luiz Datena

Domingo dei uma esticada na praia. Fiquei numa casa alugada que tenho no litoral de São Paulo e, confesso, quase não tenho usado. Quando aluguei, a situação da pandemia não era esta.

Entrei na casa domingo pela manhã e só coloquei o nariz para fora quando voltei ontem para trabalhar. Mas confesso que fiquei triste. A praia estava lotada, muito lotada. E dizem que não é por causa de Carnaval, tem estado sempre assim. Pior, a maioria das pessoas sem máscara, bares sem distanciamento social e gente perto de gente.

Muitos que ainda não pegaram o coronavírus acham que têm um tipo de imunidade. Não têm. Pergunte aos médicos. Quem pegou acha que está imune. Não está. Muitos foram infectados mais de uma vez. Entre estas e outras, o brasileiro, que com os erros dos nossos governantes, ficam doentes, morrem ou sofrem com a doença que judia e deixa sequelas.

Os jovens que antes se julgavam super-heróis estão vendo gente nova e saudável adoecer e até morrer. Parece não adiantar. Milhares de festas clandestinas têm sido impedidas neste Carnaval. A situação é esta. Eu acredito em DEUS. Muito. Mas se Jesus está voltando, que ele venha com a vacina.


Acompanhe José Luiz Datena nas redes sociais:
Facebook  |  Twitter  |  Instagram

Colunas anteriores:
Bola fora do prefeito
Ponto final

Loading...
Revisa el siguiente artículo