É tempo de compartilhar

Por Pro Coletivo

A pandemia nos trouxe novos paradigmas, como a necessidade de manter isolamento e evitar o contato físico e as confraternizações – algo difícil, especialmente nessa época de festas e celebrações. Somos seres gregários, e os nossos relacionamentos nos fortalecem e dão significado à nossa vida.

Pesquisadores e futuristas acreditam que, mesmo com todo medo e insegurança, a fase pós-pandemia, com a chegada da vacina, irá trazer de volta o compartilhamento, uma cultura que vem crescendo há mais de uma década no mundo todo. De acordo com Iza Dezon, professora e pesquisadora de macrotendências da Faap (Fundação Armando Alvares Penteado), o senso de coletividade e a solidariedade devem prevalecer. “Compartilhar recursos deve ficar mais complicado, mas a economia compartilhada vem da ideia de que, se nós unirmos forças, temos capacidade de fazer mudanças mais consistentes. Vem dessa crença de que eu mais você somos capazes de fazer coisas que não conseguiríamos sozinhos”, ela explica.

Segundo Iza, a economia colaborativa irá prosperar quando sua abordagem for mais humana, com respeito e desejo de colaboração mútua, gerando assim uma inteligência coletiva dentro das comunidades. Nesse contexto se insere o sistema de caronas, algo que parecia não ter futuro no Brasil, mas que surpreendeu imensamente. Só a plataforma BlaBlaCar, desde 2015 no país, chegou a oito milhões de usuários em março de 2020. “As pessoas estão avaliando como viajar seguramente ao mesmo tempo em que precisam continuar se deslocando e, nesse sentido, as caronas vão ganhar força no cenário pós-pandemia”, explica Ricardo Leite, diretor-geral da BlaBlaCar no Brasil. “A carona possibilita uma economia de até 75% para um condutor e de 30% a 50% para os passageiros”, diz o executivo.

O percurso de ida e volta entre São Paulo e Rio de Janeiro, por exemplo, pode custar até R$ 400 para um condutor. A participação sugerida para cada passageiro é de R$ 65 por trecho. Compartilhando a viagem com dois passageiros na ida e na volta, a economia será de R$ 260.

A plataforma oferece carona em três mil cidades do Brasil com mais de 30 mil rotas criadas – cerca de 69% delas em cidades sem linhas de ônibus intermunicipais/estaduais. Assim, atua como solução para os trechos mal atendidos por transporte público em uma plataforma multimodal, onde recentemente passou a oferecer também passagens de ônibus pelo app.

Compartilhar é positivo e será cada vez mais necessário, até pela questão da sustentabilidade. Andar sozinho de carro é algo que se tornará impensável nos próximos anos, apostam os especialistas em tendências. Vamos juntos para melhorar para todos!


O Pro Coletivo ajuda as pessoas a aproveitar a vida se locomovendo de forma inteligente

www.procoletivo.com.br
Instagram.com/procoletivo

Colunas anteriores:
Vamos repensar a nossa mobilidade?
E a acessibilidade, como fica?

Loading...
Revisa el siguiente artículo