logo
Colunistas 21/10/2020

Lovecraft Country se encerra como uma das surpresas do ano

Apesar do final caído, o saldo da primeira temporada é positivo. Como o círculo de giz que sempre é exigido em rituais de magia, Lovecraft Country se viu na obrigação autoimposta de fechar todas as suas pontas no seu décimo episódio, o último da primeira temporada, apropriadamente intitulado “Full Circle”. Houve episódios antes que não perdiam tempo e apostavam no frenesi, mas nada se compara a este finale, em que tudo é acelerado a título de desfecho.

No geral, esse final soa deslocado porque ao longo da temporada a série adotou um formato quase de antologia, priorizando personagens e gêneros individualmente, e retornar ao molde tradicional do “fim de novela” parece acima de tudo um protocolo. De certa forma, Lovecraft Country arrumou um problema para si porque, ao se organizar em episódios que têm uma entrega dramática muito forte individualmente, a expectativa pelo finale se diluiu entre pequenos clímaxes ao longo da temporada.

Como um clarividente que antecipa o futuro ao tocar nos personagens, o espectador já sabia mais ou menos o que esperar do confronto final, e até aqui uma das principais armas de Lovecraft Country havia sido justamente a imprevisibilidade com que encadeia gêneros de fantasia, horror e sci-fi sem aviso. O saldo ao longo desta primeira temporada da série da HBO, porém, é amplamente positivo; poucas séries neste ano se dispuseram tão francamente a brincar com formatos distintos, sem pudor.

FRASE DA SEMANA

“É uma doença séria mas a equipe médica é ótima e o prognóstico é bom”

O ator Jeff Bridges revelou no Twitter que está em tratamento contra um câncer

NERDÔMETRO

Sobe

Euphoria – O ano dois só será gravado em 2021, mas antes disso a série com Zendaya ganhará dois especiais em dezembro

Desce

Away – A série de astronautas com Hilary Swank foi cancelada pela Netflix depois de apenas uma temporada