Mudança no rótulo alerta para excesso de sódio, gordura e açúcar nos alimentos

Por Angélica Banhara

A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) aprovou nesta semana novas regras de padronização para os rótulos dos alimentos. A ideia é facilitar a leitura das informações nutricionais e ajudar o consumidor a fazer escolhas alimentares mais conscientes.

A principal novidade é a obrigatoriedade de um rótulo na parte da frente das embalagens, com o desenho de uma lupa e a inscrição “alto em açúcar adicionado, gordura saturada e/ou sódio”.

Os três nutrientes foram escolhidos por conta do alto impacto na saúde: o consumo em excesso está associado a obesidade, diabetes e doenças cardiovasculares.

Outras mudanças serão feitas na tabela nutricional já existente nos produtos. Ela deverá conter:
• identificação de açúcares totais e adicionado;
• valor energético e nutricional por 100 g ou 100 ml, para ajudar na comparação de produtos;
• número de porções por embalagem;
• letras pretas em fundo branco, para facilitar a leitura.

As modificações, no entanto, devem demorar para serem percebidas pelos brasileiros: a indústria de alimentos tem 24 meses para se adaptar ao novo modelo.

Porque ler o rótulo dos alimentos faz bem para a saúde

Se na hora do supermercado você mal presta atenção na embalagem do que está comprando, corre o risco de levar gato por lebre. Como a preocupação dos brasileiros com a saúde aumentou, muitas marcas destacam apenas um ou outro item (como "zero gordura”, "zero açúcar”, "integral" e “enriquecido com vitaminas”), enquanto outras substâncias menos desejadas (açúcar, sódio, gordura e aditivos como corantes, conservantes, espessantes) ficam quase escondidas, em letras minúsculas, na lista de ingredientes.

Vale lembrar que a ordem em que um nutriente aparece na lista de ingredientes representa a quantidade dele no produto.

Isso significa que, se a farinha integral aparece no final da lista, ela está presente num proporção muito pequena no pão chamado de "integral". Melhor escolher outra opção, em que ela seja o primeiro ou o segundo ingrediente da lista.

Nos sucos de caixinha — principalmente no “néctar de fruta” — é comum a água ser o primeiro ingrediente e o açúcar, o segundo. A porcentagem de fruta mesmo é muito pequena.

A tabela nutricional, que acompanha a lista de ingredientes, traz as calorias por porção e indica as quantidades exatas de carboidrato, proteína, gorduras, fibras e sódio. E indica o quanto isso representa da necessidade diária.

Ler a lista de ingredientes é fundamental para saber de fato o que você está comprando. Faça um teste lendo alguns rótulos da prateleira dos iogurtes e “sobremesas lácteas”. Dezenas de alimentos que seriam supostamente saudáveis são bombas de açúcar e aditivos.

Eu faço iogurte em casa. O iogurte natural necessita, de fato, de dois ingredientes: leite e fermento lácteo.

Eu encontrei alguns poucos iogurtes naturais integrais no supermercado com apenas dois ingredientes. Mas encontrei também um versão de iogurte natural integral com OITO ingredientes declarados! Na ordem do rótulo:

• leite integral e/ou leite integral reconstituído;
• açúcar;
• leite e pó desnatado;
• amido modificado;
• frutose;
• fermento lácteo;
• estabilizante pectina;
• glúten.

E uma observação: "Pode conter aveia, castanha de caju, centeio, cevada e trigo”. Como assim o açúcar ser o segundo ingrediente em quantidade num iogurte “natural”? Amido e glúten nesse tipo de produto???

O susto maior acontece ao ler o rótulo do quer chamam de "iogurte grego". Apesar de o iogurte e o fermento lácteo serem os dois ingredientes essenciais de um iogurte, encontrei um “grego” com 23 ingredientes (!!!!!), sendo que creme de leite e açúcar líquido aparecem em terceiro e quarto lugar em termos de quantidade.

O amido modificado aparece três vezes. Entre os “ingredientes” estão estabilizante, carboximetilcelulose sódica, acidulante, corante, conservador, regulador de acidez e aroma idêntico ao natural.

Tem mais gorduras do que proteínas e quatro vezes mais carboidratos do que proteínas. Não acredita? Veja abaixo.

Coluna Angélica

Convencido da importância de ler os rótulos?


Siga nas redes sociais:
Facebook  |  Instagram  |  YouTube

Colunas anteriores:
Os alimentos que ajudam a combater ansiedade e depressão

Dicas de especialista para ativar o metabolismo

Loading...
Revisa el siguiente artículo