Colunistas

Abandone o espelho retrovisor, Grêmio!

Grêmio e Inter estão próximos, hoje, só na flauta de boteco ou das redes sociais. Cada vez que um gremista dá gargalhadas e faz memes dos tropeços vermelhos, ele aproxima seu clube do tradicional rival. É como se não conseguisse se desapegar do Inter. Os dois clubes estão historicamente colados, ainda que as diferenças dentro de campo escancarem o contrário. O Grêmio voa na primeira divisão do futebol brasileiro e segue firme na principal competição continental. O Inter se atrapalha na Série B. Nada disso os separa: os gremistas teimam em chamar o Inter para o confronto das provocações.

Os adversários gremistas da atualidade não moram no bairro Menino Deus, em Porto Alegre. Vestem o preto e branco do Corinthians. Ou o verde do Palmeiras. O vermelho e branco não são do Inter. São do River Plate. E se pensarmos com exagerado entusiasmo, o Grêmio já não deve preocupar-se com D’Alessandro. Na alça de mira, dentro de alguns meses, poderão estar Toni Kroos, Modric, Benzema, Bale, Isco, James Rodriguez e talvez Cristiano Ronaldo. Mas calma. Há um caminho a ser percorrido.

Enquanto o Grêmio segue no encalço do Corinthians e mantém atenção ao Godoy Cruz e Atlético Paranaense, o Inter persegue o Juventude, Guarani e Vila Nova. Entenderam a diferença? Enquanto o Inter lamenta ter jogado no potreiro do Arruda e apenas ter empatado com o Santa Cruz, o Grêmio é celebrado no país pelo jogaço de 3 a 3 diante do Cruzeiro, no Mineirão. Mas nada disso é suficiente para diminuir provocações. Os gremistas insistem em chamar os colorados para o debate. Não perceberam a diferença, ainda que momentânea, que existe entre os dois times. Os clubes são de mesma grandeza. Os times, não.

Quer tirar um gremista do sério? Diga que ele não tem o título mundial, uma situação que não foi inventada pela direção colorada ou por algum dirigente da Federação Gaúcha de Futebol. Nem foi o tal árbitro Chico “colorado” quem disse isso, nem Novelletto, nem algum daqueles auditores despreparados do STJD que eliminaram o Grêmio por racismo de uma Copa do Brasil. Também não foi o Meneghetti ou algum outro dos tantos jornalistas colorados aqui da aldeia. Quem disse isso foi a Fifa, ou seja, a entidade que comanda a disputa do Mundial. Pois escreva isso em sua rede social e você será bombardeado. Perdem o prumo!

Se eu fosse gremista, também ficaria chateado com este desrespeito da entidade que comanda o futebol mundial. Mas estaria feliz com a perspectiva que meu time tem este ano. O Grêmio tem hoje o melhor futebol do país. Precisará manter este nível até o final da temporada, é verdade. Ainda não ganhou nada, nem o torneio regional conseguiu. Mas o horizonte é maravilhoso. O Grêmio está com medo deste momento. Não percebeu a diferença que há na comparação com o rival municipal. Preocupa-se demais com o Inter. Deixa que se lambuzem com adversários pequenos e gramados esburacados. O Grêmio precisa curtir a sua fase. Sem olhar pelo retrovisor.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos