Colunistas

Odiamos empresários e queremos empregos?

diego-casagrandeAlguém por favor me explique a lógica brasileira: como podemos querer empregos se odiamos empresas e empresários? Desde pequenos somos ensinados a ver empresas com olhos tortos, a detestar empresários e a achar que são todos um bando de exploradores desalmados preocupados só com lucro a qualquer custo – sobretudo ao custo de vidas humanas. No tempo dos meus avós as crianças tinham medo do Boitatá e do Saci Pererê. Nos dias de hoje, mesmo sem saber, as crianças são doutrinadas a temer os empresários e suas empresas malévolas.

Parte considerável das escolas, das universidades, da mídia e da Igreja Católica cumprem um papel de demonização de quem empreende, de quem arrisca, de quem gera empregos. Nas novelas, empresários são quase sempre maus, não é mesmo? É quase uma doença. Como queremos empregos se transformamos quem poderia gerá-los em proscritos que merecem o desprezo da sociedade? Que incentivo tem um cidadão para criar uma empresa, arriscar seu patrimônio, quem sabe se ver enrolado em dívidas impagáveis, se é olhado com desdém por aqueles para os quais gera empregos? É bizarro! O Brasil consegue a façanha de pisotear justamente aqueles que poderiam criar um ambiente favorável ao crescimento econômico e ao desenvolvimento.

Em fevereiro, nosso país atingiu 13,5 milhões de desempregados, segundo o IBGE. Em relação ao trimestre anterior, 1,4 milhão de brasileiros perderam seus empregos. Isso aconteceu por causa da crise econômica, mas também pela automação de vários setores da economia, essencialmente na indústria. E esta tendência de mudança é inexorável. Existem atualmente no Brasil 33,7 milhões de empregados com carteira assinada. Há também 10,3 milhões de trabalhadores do setor privado sem carteira assinada. Já os que trabalham por conta própria são 22,2 milhões. É muita gente que precisa de uma economia próspera para progredir, para sair do chão. Mas como isso será possível se odiamos os empresários? Se vemos nas empresas belzebus para os quais fazer o mal é o que interessa?

Neste momento alguns leitores devem estar pensando: E os empreiteiros corruptos? E os frigoríficos corruptos? Respondo: nunca, desde que o mundo é mundo, foi inteligente matar as galinhas quando ovos podres aparecem. Ovos podres existem em qualquer galinheiro.

 

Diego Casagrande é jornalista profissional diplomado desde 1993. Apresenta os programas BandNews Porto Alegre 1a Edição, às 9h, e Rádio Livre, na Rádio Bandeirantes FM 94,9 e AM 640

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos