Colunistas

Precisa evoluir bem mais

luiz carlos reche-3O Grêmio, que nos encanta pela sua organização, não nos convence pelos resultados. Nem nos menores, nem nos maiores momentos. Dos últimos 15 pontos no Brasileirão, fez seis. É pobre. No entanto, tem uma perspectiva excelente em termos de futuro no Brasileiro, desde que não adie mais. Podemos confiar no Tricolor contra Botafogo e Coritiba fora de casa? Quando o time de Roger terá uma sequência de bons resultados fora da Arena? Atlético-MG, Palmeiras e Flamengo só se estabilizaram na competição depois que começaram a vencer fora dos seus domínios. Organização tática, variação durante as partidas, concepção de novos bons ou muito bons jogadores, tudo isso o Grêmio já conseguiu, mas título ou encaminhamento para tal, chega na hora não se consuma. Que seja agora, quem sabe no maior desafio da competição. Se fizer tudo bonitinho, conseguindo subir de três em três pontos, o final será promissor e pode mudar esta escrita de 15 anos.

Ilusão, não – O Inter não pode se iludir com o resultado contra o Fortaleza. O time do Nordeste é fraco e veio sem seis titulares. É verdade que eliminou Flamengo e América-MG. E daí? O Inter tem é que vencer o Santos. E, sem oba-oba, fazer tudo que é tipo de promoção. O torcedor vai, de novo, carregar o time no colo. Com quatro vitórias em casa, uma fora, e cinco empates, o Inter chega a 44 pontos e escapa. Este é o único cálculo a ser feito no momento. O resto é o resto. Nada foi salvo, nada evoluiu tanto. Ninguém, ainda, é melhor que ninguém. Não há espaço nem para desabafo, nem para desafogo.  Foco e trabalho. E até reza. Tudo ajuda. O mais atrapalha. Os que atravancam o caminho tem que ser tirados de contexto, fizeram bobagem demais.

Antidoping – O que está acontecendo com os médicos do Inter ou com os “atletas” do Internacional? Três pegos no antidoping. Como pode dar problemas com tanta frequência? A barbeiragem é de quem? Chega de qualquer tipo de vacilo. Por enquanto, está estourando nos jogadores do Inter, logo ali pode desaguar no clube. E uma punição mais dura seria o vexame da história. Meu Deus.

Para Libertadores – O bom para quem quer ir à Libertadores, e mais patina do que se afirma, é que ganhe a Copa do Brasil um time que está, também, na ponta de cima do Brasileiro e um estrangeiro vença a Sul-Americana . Esta é a combinação perfeita. Aí mais dois vão jogar a tão sonhada competição continental.  Neste caso, tem que secar Flamengo na Sul-Americana e torcer para Santos, Corinthians e Palmeiras na Copa do Brasil. Claro, bom seria Grêmio ou Inter vencer a disputa, mas como se tem desconfiança, tem que pensar em tudo que é lado.

Aylon – Durante um mês bati que o Inter não precisava contratar Brenner, pois tinha Aylon e outros melhores, ou pelo menos iguais. Nada está confirmado. Todos são jovens. Porém, a resposta mais rápida sempre foi dada por ele. Faz gols, se movimenta, luta. Bati tanto, na Rádio Bandeirantes, que em índices de aproveitamento, Aylon foi superior a Brenner no Gauchão. Basta ver o número de minutos jogados. Aylon vai ajudar o Inter a sair do atoleiro. E o time crescendo, até Ariel vai contribuir.

Lincoln e Andrigo – Dois meninos bons de bola. Suas carreiras são bem semelhantes. O empresário, inclusive, é o mesmo. Desde sempre se falou bem. Na prática, entre os grandes, ainda nada de afirmação. É cedo para conclusões. Tudo é muito parecido é. A necessidade de se dizer que são craques, e que vai render fortuna, vale para os dois lados.

Jornalista com 32 anos de experiência em rádio, TV e jornal, Luiz Carlos Reche cobriu sete Copas do Mundo. Além do Metro Jornal, tem comentários na Rádio Bandeirantes FM 94,9 e AM 640, BandNews e Band TV. Na rádio, ainda apresenta o “Esporte Notícia 2a Edição” e o “Apito Final”.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos