Colunistas

Respostas aos Leitores

helio castronevesx colunista grande twitterOi amigos, tudo bem?

Vou começar o ano aqui no Metro respondendo muitas perguntas que estão na fila. E quem quiser perguntar coisas para mim, pode continuar mandando para o press@heliocastroneves.com. Então, vamos lá:

Pergunta do André Fernandes Marchal: “Por que não pensar em outras categorias para 2017 e 2018?”

Oi André, sempre tive muita disposição para experimentar outros carros. Nesse tempo todo que estou correndo na IndyCar, sempre que surgiram oportunidades eu pilotei carros diferentes. Foi assim com o Aston Martin na Mil Milhas de 2006 (quando ganhei ao lado do Nelsinho e do Piquezão), andei de Stock no Brasil, com os V8 na Austrália e por aí vai. Eu penso, sim, em outras categorias para quando eu parar de correr na IndyCar, mas por enquanto vou ficando por aqui, pois continuo me sentindo motivado e competitivo. E isso, como você sabe, são os principais ingredientes para um piloto.

Pergunta do Rockfeller Lindenberg: “Pulando de galho em galho o ano todo, qual é e como você faz para cuidar da sua alimentação e da sua preparação física?”

Boa pergunta, Rockfeller. Eu como de forma regrada o tempo todo. Carne vermelha e refrigerantes estão definitivamente fora do meu cardápio e isso tem mais de 20 anos. Como bastante fruta, salada e verdura, além de muito peixe e frutos do mar. Adoro comida japonesa e um filé de frango que só a Dona Sandra, minha mãe, sabe fazer. A única coisa que eu abuso um pouco é doce. Amo um docinho. Sobre a preparação física, cumpro um programa e levo muito a sério. Quando estou em casa, faço exercício todos os dias dentro dessa programação. Já durante as viagens, mesmo que não seja o mesmo programa, sempre faço alguma coisa. Esse “alguma coisa” vai desde dar um pulinho às cinco horas da manhã na academia do hotel ou correr no final da tarde. O negócio é ser disciplinado e não parar. É assim que faço.

Pergunta do Pedro Oliveira Simões da Silva: “Você já engoliu a vitória que a Indy roubou de você em Edmonton?”

Que nada, Pedro. De vez em quando me lembro daquilo. Não me orgulho da reação que tive, realmente fiquei nervoso. Mas também tenho certeza que foi uma injustiça e aquilo deixou muito claro um problema grave que a categoria tinha, que era a falta de constância. Se tem de punir alguém por uma atitude, todos os pilotos que fizeram a mesma coisa têm de ser punidos. Concorda? Mas não era isso que acontecia. A mesma situação uma hora era punida e na outra passava batido. Assim não dá, né? Não vou dizer que agora esteja 100%, mas a categoria melhor bastante nesse aspecto. Mas eu não engoli, não.

Por hoje é só. Semana que vem eu volto. Forte abraço, super 2016 para todos e vamos que vamos!

Helio Castroneves, 40, nasceu em São Paulo e foi criado em Ribeirão Preto. É o piloto brasileiro com mais vitórias na Indy, com 27 conquistas, e venceu três edições da Indy 500 (2001, 2002 e 2009). Disputará em 2016 sua 19ª temporada na categoria e 17ª pelo Team Penske.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos