Colunistas

PMDB sonda ‘governo Temer’ e PSDB topa

claudio-humberto colunistaA alta cúpula do PMDB procurou partidos de oposição, como o PSDB, para uma “consulta” que ilustra o declínio do governo Dilma: sondam sobre a posse, em definitivo, do vice Michel Temer. Tucanos reagiram bem: “melhor do que está agora”, disse um cacique. Peemedebistas já argumentam abertamente que o atual governo do PT “acabou” e que o país precisa encontrar uma saída para a crise de governabilidade.

Blindagem

Com as sondagens, o PMDB pretende blindar Michel Temer diante de eventual impeachment de Dilma ou mesmo se ela renunciar ao cargo.

Inaptidão

O argumento é de que Dilma pode cair por impeachment ou renúncia. “É uma absoluta inaptidão para governar”, diz um alto cacique do PMDB.

Cassação de registro

Dilma pode sair do cargo pela via judicial: ministros do TSE avaliam denúncia de financiamento de sua campanha com dinheiro roubado.

Pá de cal

O rompimento do PMDB com o PT, defendido pelo presidente da Câmara, Eduardo Cunha, pode ser a “pá de cal” do governo Dilma.

Gasto com Bolsa Família mantém ritmo recorde

Apesar das constantes alegações de falta de dinheiro e da necessidade do ajuste fiscal, o governo Dilma mantém ritmo recorde de gastos com o Bolsa Família em 2015, que já ultrapassa R$ 11,6 bilhões injetados na veia do eleitor de janeiro a maio. A média mensal de R$ 2,33 bilhões distribuídos continua bem superior à de 2014, quando foram ‘investidos’ mais de R$ 27 bilhões, recorde absoluto desde a criação do programa.

Nova cifra

Se mantiver o ritmo até o final do ano, o Bolsa Família deve superar a marca de R$ 28 bilhões, o dobro do último ano de mandato de Lula.

Tudo na mesma

O cenário de pobreza ainda não foi modificado e a Bahia continua sendo o estado que mais recebe recursos. Já foram R$ 1,5 bilhão em 2015.

Milhões por dia

Considerado “o maior programa de compra de votos do planeta” pelo deputado Jarbas Vasconcelos, o Bolsa Família gasta R$ 74 milhões/dia.

Baixa

Marta Suplicy sofre uma baixa na disputa pela prefeitura de São Paulo. Ela dava como certo o apoio do PDT, mas o partido não dá sinais de que vai largar suas boquinhas na prefeitura de Fernando Haddad (PT).

Encantamento

O pessoal que trabalha na presidência da Câmara está encantado com o chefe, Eduardo Cunha: ele trabalha como um mouro, ao contrário dos antecessores, e toma decisões rápidas, sem deixar papel sobre papel.

Lula só pensa naquilo

Após palestras de FHC e de José Serra, petistas de Brasília acusaram o UniCeub de só convidar tucanos. A questão é que os palestrantes nada cobraram da universidade, mas Lula exigiu R$ 100 mil de cachê. Os queixosos não sabem disso ou são vendedores do Instituto Lula.

Exagerou, camarada

claudio-humberto-06072015Não é só entre lulistas que o ministro José Eduardo Cardozo (Justiça) é detestado. Cardozo se queimou com a base aliada ao se envolver de maneira exacerbada na discussão da PEC da maioridade penal.

Não decola

Tucanos de São Paulo não fazem fé na candidatura do ex-ministro e vereador Andrea Matarazzo à prefeitura paulistana. É forte a pressão para escolher o deputado Ricardo Tripoli (SP).

A Viúva é uma mãe

O período de defeso nem sequer é reconhecido no Distrito Federal, mas sete supostos “pescadores” do lago Paranoá embolsaram R$ 18 mil a esse título. O Ministério do Trabalho não explica, nem justifica.

Fatia do bolo

Em reunião fechada, parlamentares reclamaram que o PSDB tem perdido espaço para outros partidos, como DEM e Solidariedade, na capitalização do “desejo popular” do impeachment de Dilma.

Pilha de processos

Além da ameaça na cassação do registro de sua candidatura no TSE, o que a afastaria do cargo, Dilma é acusada no TCU pelas pedaladas fiscais e também foi denunciada por crime financeiro na PGR.

Pergunta no Whatsapp

Se o PT não quer reduzir a maioridade penal e sim dar educação, por que não educou jovens nos últimos 13 anos de governo?

Com Gabriel Garcia, Rodrigo Vilela e Tiago Vasconcelos

Captura de Tela 2015-07-05 às 17.34.25

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos