Colunistas

Publicidade na internet

Gustavo-Hana_divulgação  Seja qual for a especialidade da empresa – e a internet ganhou muitos setores específicos nos últimos anos – o digital é um ambiente importante para conectar marcas e consumidores. Há tempos que o jornal impresso, o meio TV e o rádio, por exemplo, também estão inseridos na web. Gustavo Hana, CEO e sócio da agência digital GhFly, conversa com a coluna.

Como as empresas devem atuar no ambiente digital para gerar negócios?
Depois de ter um site bem construído e que comunique com clareza os serviços/produtos e diferenciais da empresa, é necessário divulgar. Sem divulgação não teremos potenciais clientes acessando o site e, portanto, conhecendo os produtos e serviços para posteriormente iniciar o processo de compra. Pode parecer muito óbvio e realmente é, mas a falta de divulgação é um erro comum. Chamo de divulgação algo maior, envolvendo investimento em publicidade.

Que ações podem ser desenvolvidas nas redes sociais?
Podemos separar as ações em redes sociais em duas: presença on-line e anúncios publicitários. A primeira basicamente tem como objetivo garantir a presença da marca na rede e realizar comunicação com o público, com atualizações periódicas. A segunda tem foco mais voltado para venda e é uma estratégia que pode ser bem assertiva, tendo em vista que atualmente podemos fazer uma segmentação que corresponda ao perfil do consumidor de determinado serviço ou produto.

Quanto tempo leva até os primeiros resultados?
Dependerá da maturidade da empresa para venda. Empresas que já vendem com auxílio da internet têm seus resultados acelerados quando investem em publicidade e nesse caso o tempo para os primeiros resultados pode se resumir a poucos dias. Empresas que ainda estão iniciando no ambiente on-line precisam de um pouco mais de esforço e realizar os ajustes necessários e isso pode levar um tempo maior, talvez dois ou três meses.

E para dosar os investimentos?
Não contar com uma agência nesse caso pode custar muito mais caro e é simples entender o motivo. Profissionais com experiência e conhecimento podem direcionar e acompanhar os investimentos de forma mais assertiva. Fazendo por conta é bem provável que a pessoa venha a cometer erros básicos, que acabam passando despercebidos. Também temos a questão de tempo e dedicação. É fundamental que seja feito o acompanhamento diário dos investimentos e sem dúvida a terceirização é o melhor caminho.

João Faria é jornalista e sócio-diretor da Agência Cidadã. João Faria escreve no Metro São Paulo.

Tags

Últimas Notícias


Nós recomendamos