logo
Colunistas
Colunistas 28/04/2015

Em Campinas

rose-guglielminetti colunistaOs integrantes do MBL (Movimento Brasil Livre), que pretende percorrer 1.007 km em 30 dias para entregar ao Congresso uma pauta contra corrupção, fim da fraude orçamentária e pedido de impeachment da presidente Dilma Rousseff, passaram ontem por Campinas. Os dirigentes disseram que “A Marcha pela Liberdade” foi inspirada em grandes movimentos populares, como a “Marcha de Washington”, liderada por Martin Luther King. Eles passarão por Minas Gerais e Goiás até chegar em Brasília. Os vereadores, principalmente os do PSDB, aproveitaram a tribuna para parabenizar os caminhantes que assistiram à sessão da Câmara ontem. E claro que muitos membros da Executiva dos tucanos foram com suas plumagens receber os coordenadores do MBL: Kaike Mafra, Kim Kataguire e Renan Santos. Na verdade, a tribuna parecia mais um comício dos tucanos. Os membros disseram que o MBL é uma entidade apartidária e é a responsável pelas duas últimas manifestações que levaram milhares de pessoas às ruas em todo o país. No último dia 12, cerca de 10 mil pessoas foram para as ruas em Campinas.

Subsídios na mira 
O presidente da Câmara Rafael Zimbaldi (PP) sabe que tem algo a entregar aos vereadores: a revisão do subsídio pago a eles e que hoje é de R$ 8,5 mil ao mês. Alguns vereadores disseram que uma comissão será montada para debater o reajuste, mas reconhecem que ninguém irá querer aprovar o aumento dos próprios salários em ano pré-eleitoral.

Rose Guglielminetti escreve no Metro World News de Campinas