logo
Colunistas
Colunistas 06/04/2015

‘Bolsa-empreiteira’ do BNDES custa R$20 bilhões

claudio-humberto colunistaO BNDES pagou R$ 20,7 bilhões pelo “privilégio” de financiar obras no exterior, em 2014, tocadas por empresas como a Odebrecht, acusada na Lava Jato de subornar agentes públicos. O “bolsa-empreiteira” do BNDES capta dinheiro emitindo títulos públicos, com base na taxa Selic (11% ao ano), e empresta a 6%, arcando com os outros 5%. Por isso, dos R$ 414 bilhões financiados 2014, bancou R$ 20,7 bilhões.

Sangria desatada

Empréstimos do Tesouro ao BNDES totalizavam R$ 9,9 bilhões (0,3% do PIB) em 2006. Chegam atualmente a R$ 414 bilhões (8,5% do PIB).

Bolsa-Louis Vuitton

O BNDES financiou mais de 2 mil projetos no exterior para empreiteiras construírem portos, rodovias, hidrelétricas e aeroportos no exterior.

País das bolsas

O valor gasto pelo governo Dilma, no “bolsa-empreiteiro” do BNDES, só é comparável aos R$ 27 bilhões aplicados no programa Bolsa-Família.

Pista

Ignoram-se os critérios para o BNDES financiar obras no exterior. As mais favorecidas foram fisgadas na Lava Jato – talvez seja uma pista.

Diz aí, ministro

claudio-humberto-06042015Renato Janine Ribeiro toma posse nesta segunda, às 11h. Se repetir na solenidade o que disse dias atrás sobre Dilma, Eduardo Cunha e Renan Calheiros, em palestra no Quintal Amendola, em São Paulo, o novo ministro terá passagem-relâmpago pelo Ministério da Educação.

Sem verba para censo, IBGE detona nos cartões 

O IBGE alega falta de dinheiro para suspender a contagem populacional de 2016, ainda que o orçamento do instituto só tenha crescido desde 2004. O IBGE está no pódio dos maiores gastadores dos cartões corporativos. Torrou, só em 2015, quase R$ 900 mil. O gasto é maior que 22 dos 23 ministérios registrados no Portal da Transparência, ficando atrás apenas do Ministério da Justiça.

Vale night

No ano passado, José Ademar Araújo, funcionário do IBGE, pagou com cartão corporativo conta de R$ 83,51 no motel Oasis, em Macaíba (RN)

PNAD

Não é a primeira polêmica com os dados do IBGE. Em 2014, perto das eleições, cancelou pesquisa que indicava aumento do desemprego.

 Caixa cheio

Em 2014, o instituto recebeu verbas bilionárias. A dinheirama ultrapassou a cifra de R$ 1,9 bilhão.

Latão negro

As notícias ruins não param de chegar na Petrobras: o petróleo é tão abundante no mercado que os Estados Unidos já armazenam barris até em navios-tanque. É o petróleo do pré-sal indo pro beleléu.

De olho no Rio

O prefeito do Rio, Eduardo Paes, prepara candidatura à presidência da República pelo PMDB, em 2018. Mas acha que o primeiro passo será eleger o sucessor, Pedro Paulo ou Leonardo Picciani, do PMDB.

Banquete no Alvorada

Aves de criação e peixinhos ornamentais passam bem nas residências oficiais de dona Dilma. A Presidência abriu licitação para gastar R$ 121 mil na compra de ração para esses animais.

Animais domésticos

Na ânsia por agradar a oposição, Eduardo Cunha prometeu ao deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP) pautar o projeto que aumenta penas para agressores de animais domésticos. Irá à votação na terça.

Nunca viu

O projeto do estacionamento subterrâneo na Esplanada, em Brasília, prometido por Agnelo Queiroz (PT), foi abandonado. O atual governo do Distrito Federal não tem informações sobre ele.

Aeronautas

Relatora do projeto de regulamentação dos aeronautas, Clarissa Garotinho (PR-RJ) mandou que sindicatos e empresas se entendam. Com ou sem consenso, seu relatório fica pronto em 6 de maio.

Sem palhaçada

O deputado Tiririca (PR-SP) aderiu às redes sociais. Ele tinha vários perfis, mas nenhum oficial. Agora resolveu levar a internet a sério.

Pensando bem…

…em tempo de petróleo em águas ultraprofundas, Dilma logo encontrará o fundo do poço da queda de sua popularidade.

claudio huberto poder sem pudor 06042015