Ciência e Tecnologia

Trabalhador da Tesla dormia no seu carro para cumprir as metas de produção

Mesmo assim perdeu o emprego juntamente com cerca de 14 mil trabalhadores da Tesla em todo o mundo

Demissão em massa da empresa Tesla (Chris Carlson/AP)

Nico Murillo, um dedicado funcionário da Tesla que até chegou a dormir no estacionamento da fábrica e preparar refeições em seu carro para cumprir as metas de produção, foi afetado pela dura realidade dos recentes despedimentos em massa que atingiram a empresa no mês passado. Murillo, juntamente com mais de 14.000 trabalhadores, tornou-se mais uma vítima da reestruturação interna.

ANÚNCIO

Uma demissão inesperada

Para Murillo, residente da Califórnia, a notícia de sua demissão chegou de forma inesperada. Depois de descobrir que sua conta corporativa foi desativada, ele dirigiu até a fábrica de Fremont, apenas para ser rejeitado pela segurança e recebeu um e-mail em seu Tesla enquanto viajava, anunciando a eliminação de seu cargo.

O caso de Murillo não é único. Vários funcionários compartilharam experiências semelhantes, marcadas pelo sacrifício e surpresa. Diego Jett, outro ex-funcionário, contou como sua dedicação o levou a conseguir um novo cargo, apenas para ser demitido no mesmo dia. Outro trabalhador foi demitido depois de mudar sua família para trabalhar na Tesla.

Os despedimentos em massa na Tesla são atribuídos a uma queda nas vendas e lucros, de acordo com declarações de Elon Musk, que também mencionou a duplicação de funções como uma razão para a reestruturação. No entanto, os despedimentos não têm estado isentos de problemas. Alguns ex-funcionários receberam pacotes de compensação incorretos, o que tem gerado ainda mais dificuldades para a empresa.

Um futuro incerto

O impacto dessas demissões não afeta apenas os funcionários diretamente envolvidos, mas também a reputação e estabilidade da Tesla. Embora o futuro da empresa continue incerto, espera-se que os ex-funcionários consigam superar esse revés e, com sorte, encontrar um melhor equilíbrio entre trabalho e vida pessoal em suas futuras oportunidades de emprego.

A história de Nico Murillo e a de outros ex-funcionários da Tesla serve como um lembrete da fragilidade do emprego, mesmo em empresas inovadoras e de alto perfil. À medida que a empresa enfrenta esses desafios, resta saber como ela se recuperará e como abordará as preocupações de seus funcionários atuais e futuros.

ANÚNCIO

Tags


Últimas Notícias